Encontre seu Passeio



Mais Lidos




Banner_left_Argentina
cabo_polonio_6

Cabo Polônio no Uruguai

Cabo Polônio

Cabo Polônio é uma praia no Departamento de Rocha, no Uruguai. É conhecida por suas grandes dunas e por conservar o clima de vilarejo, com pouquíssimos habitantes e casinhas rústicas de madeira colorida.

Lá não tem eletricidade e só se pode chegar de caminhão 4 x 4 – ou a cavalo (há passeios que te levam a cavalo).

Fizemos uma viagem de dois dias e uma noite, no mês de novembro (baixa temporada).


Caminho de Montevidéu a Cabo Polônio

Saímos de Montevidéu e percorremos a Interbalneária (Ruta 9) até Punta del Este – Manantiales, onde buscamos uma amiga que estava hospedada lá. De lá pegamos a Ruta 104 para voltar a Ruta 9 e seguimos até Rocha, onde pegamos a Ruta 15 a caminho de La Paloma.

(Podíamos ter seguido pela Ruta 10, para ir pela costa, mas fomos alertadas que a balsa da Laguna de Rocha poderia estar fechada, ou com atrasos, devido às fortes chuvas do dia anterior).

Em La Paloma, pegamos a Ruta 10 até chegar em Cabo Polônio. A estrada segue em mão dupla e tem alguns buracos. A entrada para Cabo Polônio tem uma placa de sinalização na estrada.

cabo_polonio_9


Comprando o ticket para o caminhão 4 x 4

Na entrada da reserva, há um estacionamento (descoberto), onde você pode deixar o carro. A recepção de arquitetura moderna contrasta com a paisagem deserta.

Lá está a bilheteria, além da ampla área de lounge e uma cafeteria.

cabo_polonio_11

cabo_polonio_12

cabo_polonio_13

Os tickets variam de preço, mas a ida e volta nos custou por volta de 30 reais. (Não gosto de colocar preços no blog porque variam muito de estação para estação, ou simplesmente porque o preço aumentou ou diminuiu sem muita explicação).

Esperamos a próxima saída do caminhão, com outras pessoas (a maioria estrangeiros) no local de espera.


No caminhão

O caminhão é algo que nunca havia visto. Embaixo, bancos cobertos onde as pessoas sentam uma ao lado das outras. Em cima, um banco grande na frente do caminhão e um banco atrás. É para quem quer ver a paisagem e não se importa de ir sacolejando.

Minha amiga, que tem medo de altura, ficou um pouco desconfortável. Eu aproveitei a visão.

O caminho de terra, quando se está em cima do caminhão, parece um pouco longo. Talvez seja a ansiedade de chegar.

Depois de poucos minutos já podíamos avistar a praia e o imenso farol. A praia é uma pequena península. Do outro lado do Farol estão as casas coloridas, marca registrada de Cabo Polônio.

cabo_polonio_15

cabo polonio

cabo polonio


Parada Final

O caminhão para na praça principal, onde todos descem. Lá tem restaurantes, lanchonetes e hostels. Tudo pertinho.

cabo polonio


Hospedagem em Cabo Polônio

Em Cabo Polônio, não há muita opção de conforto. A ideia é ter contato com a natureza em um lugar simples e rústico. Existem alguns hostels e casinhas para alugar e um ou outro hotel.

Nós ficamos em um hostel bem pertinho da parada final do caminhão. Dividimos o quarto com mais 4 pessoas: um casal da Rússia, um da Argentina e um outro casal da Colômbia. Tinha banheiro compartilhado dentro do quarto e, para tomar banho, tinha que ser o banheiro que estava lá fora.

No Hostel não havia um único Uruguaio, nem tampouco algum brasileiro. Eram gringos de todas as partes: Irlanda, Inglaterra, Colômbia, Rússia, Argentina, França e outras pessoas que não sabia bem de onde eram, mas não falavam espanhol nem português. Rsrs.

A vista do nosso Hostel:

cabo polonio

cabo_polonio_27

 

cabo polonio

 


O Passeio por Cabo Polônio

Cabo Polônio é um lugar para relaxar. Não tem muitas atrações e pode-se conhecer em apenas um dia (é o que a maioria das pessoas faz).

Fomos até o Farol para ver os Lobos Marinhos e a vista de lá de cima. Realmente subir no Farol é de tirar o fôlego. A vista é simplesmente incrível. Se vê toda a extensão da praia dos dois lados. É muito bonito. E alto. Minha amiga ficou grudada na parede, sem nem poder chegar perto da borda.

cabo polonio

cabo polonio

Depois fomos às Dunas, que fica do outro lado da praia. Chega-se em 10 minutos caminhando pela praia. Subimos nas dunas para ver a vista e descansar um pouquinho.

cabo polonio


A nossa noite em Cabo Polônio

Voltamos para o Hostel e nos encontramos com o pessoal. A noite estava começando a se pronunciar quando o argentino teve a ideia de reunir todos os que estavam presentes para ir comprar carne na mercearia e fazer um churrasco comunitário.

Não tinha opção de restaurante aberto de noite, já que era baixa temporada, e ideia veio em boa hora.

Tirando os russos que não quiseram participar – e ficaram comendo arroz com uma verdura esquisita – todos os demais foram às compras.

Asado de Tira, Chorizo, Frango, Pãozinho, Bebida (Fernet com Coca) e pronto. Estava armado nosso assado à luz do luar.

O argentino se encarregou de preparar a fogueira e trazer um pedaço de grelha que havia encontrado.

cabo polonio

Todos se reuniram em volta do fogo para conversar e comer. A noite estava muito linda, cheia de estrelas. A única luz que iluminava o céu era a luz do farol que a cada tanto, cortava toda a praia.

Lá pelas tantas, estava todo mundo cantando e dançando. Não havia eletricidade, então cantávamos nós mesmos (músicas internacionais conhecidas, claro). Foi muito divertido.

cabo polonio


Hora de Voltar

No dia seguinte, arrumamos as malas e fomos tomar o café.

O café da manhã era incluído e servido pelo próprio dono do lugar, na pequena cozinha do hostel. Uns pães com manteiga e um pedaço de bolo, com café.

Os gringos faziam seu próprio café da manhã. Um irlandês preparava um macarrão (miojo) com molho pesto frio e o britânico fazia um pedaço de carne frito. Às 9h da manhã.

Na cozinha estava a única tomada que todos compartilhavam para carregar o celular e aparatos eletrônicos. Funcionava por gerador.

Ficamos um tempo na praia, na frente do Hostel até dar a hora de ir para o caminhão.

cabo polonio

Seguimos para a pracinha e embarcamos de volta para a recepção de Cabo Polônio. Voltar para a civilização foi meio chato.

Gostaríamos de ter ficado pelo menos uma noite mais, para aproveitar o sol e nos divertir com as pessoas que tínhamos conhecido. Pessoas de todos os lugares, de todas as idades, com histórias diferentes. Cantando junto, com a mesma alegria, sob as estrelas de Cabo Polônio.

Gostou? Dê sua avaliação: 1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas
Loading...
Gostou dessa matéria? Veja também artigos sobre a Argentina


Exibir botões
Esconder botões