Encontre seu Passeio



Mais Lidos




Banner_left_Argentina
Bodega Bouza Almoço e Valor

Bodega Bouza, um delicioso passeio gastronômico em Montevidéu

Fui conhecer a Bodega Bouza em Montevidéu, esta vinícola familiar cheia de encantos, que conta ainda com um acervo de carros antigos.

por Mônica Petry

 

Para os fãs de bons vinhos, como eu, ou simplesmente para aqueles que gostam de conhecer lugares incríveis, a visita à Bodega Bouza em Montevidéu é um passeio imperdível.

Primeiro porque a bodega é linda. Já havia visitado outras vinícolas no Brasil e no Chile e em geral são lugares bonitos e com muita natureza. Mas o legal da Bodega Bouza é que ela é menorzinha, familiar, e tem o acervo de carros antigos restaurados para quem gosta de carros também.

São cerca de 20 quilômetros do centro da cidade de Montevidéu até o Camiño de la Redención. O trajeto é bem tranquilo e sinalizado, portanto sem erro.

 

História da Bodega Bouza

A Bodega Bouza existe desde 1942 e foi a primeira a assemelhar-se aos “chateaux” franceses. A família Pesquera, primeira proprietária, retornou à Espanha na década de 80 e o local permaneceu improdutivo até 2001, quando os Bouza o adquiriu, reconstruindo instalações e vinhedos e investindo em tecnologia.

Bodega Bouza Almoço e Valor
Bodega Bouza

 

Bodega Bouza Almoço e Valor
Bodega Bouza

 

A Bouza leva o rótulo de bodega boutique, cujo conceito é o de trabalhar em pequena escala para garantir uma melhor qualidade. Ali são apenas dez hectares (há produção também em Melilla e Las Violetas e Pán de Azúcar, perto de Punta del Este, totalizando 33 hectares); e sua capacidade total é de 130 mil garrafas, de acordo com a nossa simpática guia María, que arrisca bem o português.

Bodega Bouza Almoço e Valor
Bodega Bouza: Bodega Boutique no Uruguai

 

O resultado é de vinhos de alta qualidade e uvas nobres cuja metade é exportada para países como Estados Unidos e Brasil.

A vinícola trabalha com sete tipos de uvas: quatro para tintos (Tannat, bastante característica do Uruguai; Merlot, Pinot Noir e Tempranillo) e brancos (Chardonnay, Riesling e Alvariño).

Como não estamos na época da colheita, que é feita somente em fevereiro e março, não foi possível ver os cachos cheios.

Bodega Bouza Almoço e Valor
Parreiras na vinícola Bodega Bouza

 

Mesmo assim é sempre impressionante quando escutamos sobre o processo de maturação de um vinho nas instalações internas, que permanecem a 15 graus em qualquer época do ano. Somente um terço da produção é aproveitada para o vinho propriamente, que se inicia na retirada das cascas de uva, (dependendo do vinho), fermentação e armazenamento, um total de três a 18 meses. Mais dez meses (no mínimo) até a venda. Ou seja: um vinho “jovem” fica pronto só um ano depois da safra e um tinto, dois anos.

Bodega Bouza Almoço e Valor
Barris de vinho da Bodega Bouza

 

Bodega Bouza Almoço e Valor
Vinhos da Bodega Bouza

 

Trabalho bom mesmo tem o enólogo, que descobre as particularidades dos vinhos que vão para uma vinhoteca, uma espécie de laboratório de controle de qualidade no andar de baixo. Ali ele acompanha a evolução das garrafas e descobre os porquês de uma ter dado mais certo do que a outra, por exemplo.

 

Acervo de carros clássicos – o museu de carros antigos da Bodega Bouza

Para os amantes de carros de todas as épocas

O acervo de carros antigos da Bodega Bouza não é tão grande, mas é muito legal. Eu, que não entendo nada de mecânica mas sou uma apaixonada por carros antigos, adorei! Sempre gosto de imaginar como seria dirigir estes carros em todas as suas épocas, as cidades, o entorno.

Bodega Bouza Almoço e Valor
Coleção de carros antigos Bodega Bouza

 

O proprietário iniciou a sua coleção quando tinha 18 anos (hoje ele está com 59). Segundo a nossa guia, o mecânico vai lá toda semana e os carros estão em perfeito funcionamento. Se eu tivesse de escolher algum para dar uma voltinha pegaria o Citröen DS branco, que na época (anos 60) era bem inovador. Pena que isso não dá pra fazer…

E tem uns ainda mais antigos: os Fords modelos A e T; e os BMW Iseta, Fiat 500 e 600 e um Messerschmit, cujo material, ainda segundo María, são oriundas de aviões da segunda guerra (a fábrica que fabricou o carro fabricava também os aviões). Uau!

Bodega Bouza Almoço e Valor
Coleção de carros antigos Bodega Bouza

 

Mas se nada disso te interessar, dá para pular essa parte e ir direto ao almoço e degustação no restaurante. Mas é interessante saber que as visitas às plantações, instalações e ao acervo de carros não são cobradas para aqueles que almoçam e ficam para a degustação.

 

Degustação e Almoço na Bodega Bouza

O restaurante tem uma atmosfera deliciosa e eu já botei na minha lista de “lugares que vale a pena voltar”. Sou apaixonada por luz natural (como citei acima, as paredes externas são de vidro) pois te permite contemplar a paisagem, que agora é invernal (recebemos a dica de que na primavera fica ainda mais bonita).

A música ambiente fica por conta do pianista que, provavelmente sabendo da grande quantidade de visitantes brasileiros, escolheu um repertório com bastante mpb, tango e alguns clássicos uruguaios na mesma linha. Música agradável de fundo sem ser invasiva.

Primeiro fizemos a degustação de vinhos: quatro vinhos entre brancos e tintos e uma tábua de queijos regionais, frios e pães recém saídos do forno.

Bodega Bouza Almoço e Valor
Degustação de vinhos Bodega Bouza

 

Depois da degustação, fomos convidados a almoçar. Optei pela sugestão do garçom (atendimento ótimo aliás) e escolhi o cordeiro com quadrado de batata. E foi uma escolha feliz, pois a carne estava deliciosa e bem preparada, como não poderia deixar de ser no Uruguai.

Bodega Bouza Almoço e Valor
Almoço na Bodega Bouza: Cordeiro

 

Mesmo para os que não são tão fãs de carne há opções como o risoto de camarão, lula e açafrão (hummmm…) e também para os vegetarianos, como a torta folheada de verduras e fettucini.

Bodega Bouza Almoço e Valor
Almoço na Bodega Bouza: Camarões

 

O almoço  na Bodega Bouza inclui entrada, prato principal, uma taça de vinho, café e água. Nós pedimos também um Tannat 2015 Parcela Única bem encorpado. Os vinhos parcela única, conforme a explicação, são os elaborados com as melhores uvas (alguns deles premiados).

Bodega Bouza Almoço e Valor
Vinhos da Bodega Bouza

 

Não é barato, mas pensei na hora que a gente trabalha é para isso mesmo e mandei bala. O vinho desceu divinamente e tinha um gosto dos deuses que não vou esquecer tão cedo, tanto que depois fui na lojinha e comprei outro. Isso, repito, porque gostamos de vinho forte e encorpado. Há profissionais bem qualificados por lá para dar dicas dependendo do gosto pessoal de cada um.

Chegou a sobremesa, um mini bolo de doce de leite com sorvete e um créme brulée. Divinos, maravilhosos, de comer de olho fechado!

Bodega Bouza Almoço e Valor
Sobremesa da Bodega Bouza

 

Toda a experiência vale muito a pena, pela qualidade do serviço e dos produtos.

Por fim, não dava para sair de lá de mãos abanando e trouxemos mais um Parcela Única (desta vez um Tempranillo A 18) por 1.200 pesos uruguaios; outro Tannat 2015 (600 pesos) e para não ficar só nos tintos, escolhemos um Albariño (720 pesos), uva típica da Espanha e Portugal, que é bastante frutado e cheiroso, ideal para acompanhar peixes e frutos do mar.

Mais um pouquinho de contemplação, o dia estava mesmo lindo. E fomos embora.

 

Bodega Bouza: preços e valores

A Bodega Bouza abre de segunda à sábado. O visitante pode ir por conta própria (alugando um carro ou solicitando um táxi).

Se estiver a pé e quiser beber sem ter nenhum problema na volta, há a opção de ir com o passeio contratado.

O passeio inclui traslado ida e volta ao hotel em Montevideo, a degustação de vinhos, visita aos museus de carros antigos e o almoço completo.

 
 

Os passeios mais vendidos

Gostou? Dê sua avaliação: 1 estrela2 estrelas3 estrelas4 estrelas5 estrelas
Loading...
Gostou dessa matéria? Veja também artigos sobre a Argentina




Exibir botões
Esconder botões